a capital mundial do ciclismo

a capital mundial do ciclismo

Fala, galera! Cá estamos nós de novo, mas dessa vez é para falar sobre uma cidade na qual o número de bicicletas ultrapassa o de habitantes: Amsterdã! Ficou surpreso? O governo holandês estima que na cidade de 800 mil habitantes, há 880 mil bicicletas. Para você ficar ainda mais chocado, eu digo que isso representa QUATRO VEZES o número de carros.

Quem já foi pra lá sabe, as magrelas compõem a paisagem junto com as tulipas, os canais concêntricos e as pontes. Em Amsterdã a bicicleta não é encarada como um exercício físico e, sim, como o principal meio de transporte. Para se ter uma ideia, 32% de TODAS as viagens dentro da cidade são feitas de bicicleta, comparadas aos 22% das viagens de carro.

Na lista das 20 melhores cidades para se andar de bicicleta, divulgada anualmente pela Copenhagenize Design, uma consultoria de planejamento urbano dinamarquesa, a capital holandesa está em primeiro lugar. Importante dizer que, apesar das cidades europeias dominarem a lista, nosso Rio de Janeiro também está dentro do ranking.  Mas nem tudo sempre foi assim perfeitinho, até Amsterdã já teve seus dias de trânsito caótico de carros.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os holandeses começaram a ganhar uma grana melhor e consequentemente a consumir mais carros. Mas a cidade não estava preparada para isso e para abrir avenidas, derrubaram conjuntos residenciais e ciclovias. Eles só não contavam com a crise do petróleo e o consequente aumento do preço dos combustíveis. Foi aí que o jogo virou! Para não passar aperto, o então primeiro-ministro trabalhista Joop den Uyl, aplicou medidas como “domingos sem carro” e proibiu automóveis no centro das cidades. As políticas de incentivo do governo somadas à grande mobilização social contra a ditadura do automóvel resultaram nessa Amsterdã que conhecemos.

Hoje a capital holandesa possui sinalização e até leis de trânsito para ciclistas sob pena de multa. É isso mesmo que você leu! As bicicletas podem ser punidas assim como os carros são por aqui, as penalidades são pagas no ato e custam, em média, 23 euros. Para não cair numa emboscada dessas o ciclista precisa seguir algumas regras como sempre indicar com o braço o sentido que vai virar, como se fosse a seta do carro; pedalar sempre com a buzina e as luzes sinalizadoras; não carregar passageiro no bagageiro; usar cadeado na hora de estacionar, essa aqui os brasileiros não vão esquecem nunca porque já faz parte da rotina, haha.

Se for para Amsterdã já sabe, né? Nada de alugar carro, vai de bike! Alugar a magrela por lá é super fácil, várias agências de turismo mesmo oferecem esse serviço. Além disso, a bike tour é uma maneira muito usada e deliciosa de fazer turismo por lá. Algumas outras dicas de passeios por essa cidade incrível você pode conferir clicando aqui http://juntandoaspanelas.com.br/na-estrada/amsterda/

 

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


6 − = dois

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>