A FESTA DE CONFRATERNIZAÇÃO DOS EX-ATLETAS E AMIGOS DO ESTRELA DO MAR

A FESTA DE CONFRATERNIZAÇÃO DOS EX-ATLETAS E AMIGOS DO ESTRELA DO MAR

# – ESCREVER É CORTAR. Quem disse? Eddy Dias da Cruz. Pausa. E quem seria o Eddy? Ele mesmo, o Marques Rebelo, autor de Estrela Sobe, um filmezinho nacional com um elenco fabuloso. Betty faria, Paulo César Pereio, Odete Lara e por aí vai. Mas, lembrando o Marques Rebelo, não quero ir por aí. Assim, vou cortar esse primeiro parágrafo, espécie de nariz de cera, e entrar no próximo e no assunto.FB_IMG_1670857492711

# - FOMOS MAIS UMA VEZ à confraternização dos amigos e ex-atletas do Estrela do Mar. Dapenha, Paulo e este MP. Talvez tenha sido este o primeiro ano do Dapenha. Pois, depois de umas boas décadas morando e vivendo em Ji-Paraná, finalmente, aportou por aqui.  Assim explicado, claro está que não poderia ter participado de outros.FB_IMG_1670857412673

 

# – TEM MAIS: nas visitas feitas a Boa terra, uma vez só, afirmo com segurança, a esse encontro Dapenha compareceu. Os Pilungas? Essa é outra história. Paulo e eu? Umas vezes, umas. Dessa vez, porém, para a nossa tristeza, muitos dos nossos não responderam presente. Tem mais? Tem: “Nos sentimos uns estranhos!”. A frase foi dita por Dapenha. Se tem razão? Toda.FB_IMG_1670857405413 FB_IMG_1670857386323

# - BOM, PELO MENOS para este MP, foi rever o cracaço da bola pesada, Quincas, totalmente recuperado da famigerada Covid. Foi bom não, foi ótimo. Assim de relance, vi ainda antigos – nada de velhos – e bons colegas nesse reencontro que poderia melhorar ainda mais a cada ano.  Deixa vez… Encontrei Quincas e família, Sérgio (meu sobrinho, filho do inesquecível João Heráclito), Renê, Nilson, Helinho….Clideneu, Paulo, Tavinho (ele mesmo, o meu eterno vereador e filho do inesquecível Cabeção) …. E quem mais? Ora bolas! Que memória, hein? Que me desculpem os esquecidos. Mas acho que é a idade, a idade talvez, Mas quem mais mesmo

FB_IMG_1670857288392

# – NO ENTANTO, para que a história seja melhor contada, conto que por motivos que aqui não vale ressaltar, chegamos nos três, atrasados e fora de hora, e por isso mesmo não posso citar os presentes que nesse intervalo se ausentaram. Poucos, também é verdade, poucos. Mas negar que esse encontro é salutar para manter viva a bela lembrança de amigos e da “escola” que foi o Estrela do mar, isso nunca hei de.

FB_IMG_16708573391579

# – A FESTA DA ESTRELA DO MAR tem que continuar, sim. Mas que tem de melhorar, isso também. Como, 1berto?  Deixo que o bom Nau do Bode ou do Pônei, mas sempre bom, que hoje encontrei caminhando pelo calçadão do nosso belo Cabo Branco, bote pra fora suas excelentes sugestões, que, desde já, com a data vênia do muito bom Quincas, também são minhas. Falas aí, nau!

# - “NÃO FUI PORQUE NÃO IRIA me encontrar ali.  Os verdadeiros e velhos amigos do Estrela não estariam presentes. É preciso repensar aquela festa, mudar a maneira de administrar, torná-la menos comercial e, especialmente, buscar, mais buscar mesmo os verdadeiros amigos e ex-atletas do Estela do Mar.” Tem mais? Tenho! Então vamos para o próximo parágrafo.

# - “TENHO A CERTEZA que por lá não foram Carlinhos, Carrinho Macarrão, Genival Veloso, Marcos Macena e outros e outros. Velhos e verdadeiro atletas se leais amigos do Estrela do mar.  O encontro hoje é dos nossos netos. Não iria conhecer ninguém, e ninguém iria me conhecer. E outra. Para que um som naquelas alturas tocando músicas que nada tem a ver com a gente? O encontro é para saudar essa arte (a do encontro), rever os amigos e saborear boas lembranças! (Esse, repito, foi o que me disse Nau). Tem mais, Nau?  Tem. Então falas, mete bronca!

# – “E COMO É QUE SE pode pensar que todo mundo tem disponível o valor de R$80,00 para pagar por uma camisa?! É muito, meu amigo, é muito! Bem que poderia se pensar em um patrocínio (mas nada de encher as camisas de propaganda), personalizar as camisas com os nomes dos antigos atletas e amigos do Estrela do mar, ir à casa de cada um deles e convidá-los para o encontro. Ah, mas nada de vender a esses! Eles seriam uma atração, sentir-se-iam (essa mesóclise é minha) valorizados   e   orgulhosos pela lembrança. Ah, quanto ao salão dos veteranos, esse seria revitalizado por uma pequena orquestra de frevo, tocando antigos sucessos carnavalescos dos tempos de Cachimbo Eterno!”.

# – SINCERAMENTE, mais uma vez com a data vênia do meu bom amigo e craque, do bom galo Quincas, acho que ideias do bom Nau poderiam muito bem ser aproveitadas. Ótimas ideias. Mas que a festa valeu e valerá sempre, disso eu não tenho nenhuma dúvida.

Compartilhar...Share on FacebookTweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


− 4 = um

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>