a nossa feira sob o olha poético do artista antonio david

 

o corona tirou-me um dos muitos prazeres meus

um simples passear entre os feirantes e… valia a manhã

essa dos domingos e quartas-feiras

belas e movimentadas manhãs de feira -ivre

fossem essas no meu jaguaribe ou alto do oitizeiro

se essas não tinham tudo um pouco de tudo elas me davam

nada de pandemia e ainda nada menos de pressa

para escapar da morte e encontrar a vida nos próximos dias

fosse essa com arte ou apenas nos gritos dos feirantes

agora na prisão dos quarenta dias sem direito ao meu corpo

livre pelas ruas das minhas feiras enfeitadas de alegria

feirantes gritam e gritam e mesmo que não gritassem tanto assim

o silêncio não estaria à venda numa banca de verdura

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


seis − = 0

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>