a tarde de domingo é vazia como os homens nos dias de sábado

a tarde de domingo é vazia como os homens nos dias de sábado

Vou confessar sem medo dos inimigos desse dia: eu gosto da segunda-feira! Agora, se você me perguntar se esse meu declarado gosto pelas segundas é sem esse S – leia-se sem “exceção” -, responder-lhes-ei todo mesoclítico que não. Às segundas-feiras somente são boas quando os meus domingos são completos. Nem alegres nem tristes: completos.

Hoje, por exemplo, considerando que o dia de ontem esteve próximo a isso, isto é, a ser um dia completo, acho que esta segunda irá ser maravilhosa. Nada de anormal. Tudo dentro das perspectivas desse olhar sonhador e brilhante como a luz da manhã.

Ninguém pode ignorar a existência da segunda, sem correr o risco de esquecer o domingo. Para os inimigos da segunda, por mais incrível que possa parecer, confesso não gostar tanto assim dos domingos. Das tardes de domingo, em particular.  Não existe um período de dia mais triste que uma tarde de domingo. Sinto como se ele, esse período, estivesse sofrendo uma porrada para amanhecer segunda-feira.

A tarde dos domingos é vazia como os homens nos dias de sábado.   O dia de domingo não é de se oferecer todo aberto para receber cadeiras nas calçadas. E recolhimento. Nem lembrança ele é. Recolhimento.  Sinto que todos estão esperando que ele passe logo, para que o outro dia venha com mais vontade de viver – a segunda-feira.

Mas, somente isso acontece, muito bom que fique claro, com as tardes de domingo. A manhã, não. Essa é criança dando os primeiros passos em direção aos braços abertos do pai, e esse feliz por vê-la os seus primeiros passos dar. A manhã de domingo é sol brincante desfilando pelas ruas de Olinda numa manhã de carnaval.

Mas, peraí. A gente não começou falando da segunda-feira? Pois é. Ela chegou! Não existe nesse dia, pelo menos hoje, o inesperado da surpresa. Assim, esperando um novo domingo criança correndo pela manhã, espero também mais uma segunda-feira para declarar o meu amor por ela!

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


3 + = quatro

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>