AFINAL, FOI MANDALA O MANDELA ?

AFINAL, FOI MANDALA O MANDELA ?

O seu – dele – negócio não se vende nem se compra, diz. Mentira! Se vende e se compra: futebol e reportagem policial. Não assiste a outra coisa. Acha, não diz mas deixa no ar, que a televisão foi criada para isto.  O botão de desligar? Nada de a melhor   invenção da invenção,  como dissera um dia um humorista e pensador e tradutor e outras coisas boas que ele nunca ouvira falar. Millôr? Melhor calar.

Ele vive como se morasse numa ilha cercada de silêncio por todos os lados. Outro dia, me perguntou em que time jogara esse “cara”. O cara, para ele, esse que suscitou a pergunta,  era Candice Bergen. Não é um jogador de futebol? Não. E quem é esse homem? Não é um homem ?! Silenciou. Estava mais perdido do que Eduardo Cunha na hora de dizer  para os “comparsas” que o seu – dele não, nosso –  dinheiro não era seu.

Esse era o  líder negro que morreu outro dia.  Quem?! “Mandala”! Não estaria enganado, perguntei-lhe. Não, respondeu.  Tinha certeza. Mandala, para ele, era um líder africano responsável pela independência da África. Esperei que o seu ufanismo afro – não é negro, mas descende e sabe disso – diminuísse um pouco. Posso explicar? Se for outra coisa, tudo bem. Sobre Mandala, porém, não achava necessário. Sabia o suficiente sobre ele. Pausa. Sabes mesmo o quem  é Mandala?! Um líder africano, respondeu.  Não seria Mandela? Perguntei-lhe. Estranhou o “Mandela”. Mandela…. Não! Não sabia quem era Mandela.

Simples. Eu como gosto muito dele, expliquei no meu tom lento e calmo de falar.  Mandela era esse que ele pensava ser Mandala. Pausa. E Mandala não era também um líder negro? Não. Mandala significa círculo em palavra sânscrito. Mandala também possui outros significados, como círculo mágico ou concentração de energia, e universalmente a mandala é o símbolo da integração e da harmonia. Foi preciso dizer tudo como estava –  e estão –  escrito. Assim esperava que entendesse  melhore a diferença entre um, Mandela, o Nelson, e o outro, o círculo mágico, Mandala.

Assobiou – um tique seu – dele –  quando está nervoso -,   disfarçou e não se deu por vencido:  “Então se esse que penso não é o Mandala, Mandela é o que estás pensando ser. Um depende de outro?”.  Não tive condições de responder. Não tenho. Não adiantou tantas palavras. Atrasou-o. O líder negro, para ele, será sempre Mandala. Mandela é uma corruptela. O que é corruptela? Meu Deus!  O mesmo que Mandala. Ainda consegui responder.

mandala

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


2 + = três

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>