AS SUPER INIMIGAS

AS SUPER INIMIGAS

 

Elas são uma das maiores ameaças à saúde pública, mas a sua eficácia pode ficar facilmente comprometida com medidas bem simples

Passados anos a fio de uso abusivo de antibióticos e outros potentes remédios, eis que algumas bactérias ‘aprenderam’ a ser resistentes à ação desses medicamentos. O aparecimento e crescimento daquilo que a ciência chama de superbactérias é uma das maiores ameaças atuais à saúde pública, mas, mais do que dependente da ciência, a solução está nas mãos dos humanos… literalmente.

Assim como a Organização Mundial da Saúde (OMS) já tinha alertado, tanto médicos como pacientes devem fazer a devida higiene das mãos, um hábito que deve ser rotineiro e constante ao longo do dia, especialmente em períodos cujo o sistema imunológico tende a estar mais fraco, como acontece no inverno.

Mas não só. No Reino Unido, por exemplo, o Ministério da Saúde encontrou uma forma bem simples de parar com a prescrição abusada de antibióticos por parte dos médicos. Diz a BBC que a tutela britânica aconselhou os especialistas clínicos do país a recitarem mais descanso e menos antibióticos aos pacientes, até porque têm sido vários os estudos que mostram como uma boa rotina diária de sono é fundamental para manter o sistema imunológico reforçado.

Também o médico Jean Patel já tinha anunciado a importância de receitar cada vez menos antibióticos e de procurar outras terapias para as patologias.

Charles Chiu, diretor da Universidade da Califórnia, defendeu que a melhor forma de reduzir a quantidade ingerida é com o diagnóstico cada vez mais precoce das doenças, de forma a que possam ser tratadas com outros fármacos ou terapêuticos, deixando, então, de ser necessário recorrer a antibióticos.

 

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


seis + = 8

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>