Arquivos do Autor: Humberto

ser ou não sou ? sou 1berto!

Vida-nova-300x199

exercitando os dedos malabaristas . aqui, ao lado da minha ilha cercada de livros e discos por todos os lados, assisto a tudo que me oferecem via televisão. via ? e vejo. tudo, porém,  sem muita exigência. Sou o tipo que aprendeu a tudo ver e ouvir e somente depois falar sobre o  ouvido e o visto. revisto. réu. os ... Leia Mais »

Autoajuda

    A autoajuda matou a literatura no Brasil e a culpa é das editoras POR EDSON ARAN O Twitter é a rede social mais tóxica que existe. Antigamente era um lugar legal onde as pessoas publicavam aforismos e haikais. Hoje é só cancelamento e agressão. Comentei outro dia no Twitter reportagem do “Estadão” sobre a lista de livros mais vendidos ... Leia Mais »

notas e notas que anoto

procopio ferreira humberto

exercido para os dedos malabaristas # –  aqui, ao lado da minha ilha cercada de livros e discos por todos os lados, assisto a tudo que me oferecem via televisão. Via e vejo. Tudo sem muita exigência. # – Sou o tipo que aprendeu a tudo ver e ouvir, e somente depois falar do ouvido e visto. Os meus ouvidos? ... Leia Mais »

A arte de agradar muitas vezes encobre a arte de enganar

engannando a si mesmo

Outro dia, num papo bem irmão/amigo como o amigo/irmão Dapenha, esse que vocês estão cansados de ouvir por escrito neste espaço (legal: ouvir por escrito), falávamos a respeito dos muitos sabidos que pensam enganar os bestas e, por incrível que possa parecer, esses fingem que enganados estão sendo. O papo era exatamente sobre isso: o suposto enganador consciente de estar ... Leia Mais »

Desatenção

Desatenção Wisława Szymborska Ontem me comportei mal no universo. Vivi o dia inteiro sem indagar nada, sem estranhar nada. Executei as tarefas diárias como se isso fosse tudo o que devia fazer. Inspirar, expirar, um passo, outro passo, obrigações, mas sem um pensamento que fosse além de sair de casa e voltar para casa. O mundo podia ter sido percebido ... Leia Mais »

Dostoievski

Sobre lamentações em Dostoievski “Há no povo uma dor silenciosa e paciente: essa dor volta a si mesmo e se cala. Mas também há uma dor que explode: essa dor se manifesta pelas lágrimas e se expande em lamentações, principalmente entre as mulheres. Ela não é mais leve que a dor silenciosa. As lamentações só se apaziguam devorando e dilacerando ... Leia Mais »