Arquivos do Autor: Humberto

Wilson e a sua arte de transformar chapas de ferro e parafusos em poemas para os olhos

InShot_20200203_154756507

Semana passada. Feira de artesanato. Praia de Cabo Branco.  Uma visita. Mas sem esperança de encontrar algo que fosse diferente. Não encontrei. Não encontramos. Vi, porém, algumas peças que merecem constar em nosso “arquivo particular”. Vimos.  Tudo muito natural.  Pois, afinal, a sala de nossa casa é uma exposição aberta para os  bons artistas. A propósito, o meu bom irmão ... Leia Mais »

Confesso que senti…

InShot_20200203_125530348

Não sei se acontece ou já aconteceu com um dos meus dois leitores. Pois é, comigo acontece quase todos os dias. E se digo “quase” é  porque não são todos os dias que alivio a barriga em casa. Muitas vezes nem fora.Tudo bem contigo? Ótimo. Só que tem dias que cansado de ler e ver e ouvir tanta na merda ... Leia Mais »

cor de burro

A expressão “cor de burro quando foge” é uma corruptela de “corro de burro quando foge”, que designa o comportamento agressivo do animal que pode dar um coice em alguém próximo. Hoje em dia, a expressão “cor de burro quando foge” é utilizada para se designar uma cor em que não se sabe definir precisamente qual é. Também é comum ... Leia Mais »

curiosidade

sou por natureza um sujeito curioso. sujedito e predicados.  não é filosoisa nada a aprendere. nada a ensinar. Josetein Gardeder diz que que  ensino da filosofia não precisa ser complexo, intricado. E que teem a ver com curiosidade, essa  mania de fazer perguntas, algo que perdemos na cultura ocidental quando envelhecemos. Se estou envenecelhlence ? a cada dia. a rprova ... Leia Mais »

Entrincheirados desde 1917.

filme-1917-2-1200x800

Nada daquele tesão primeiro que sentia nos meus tempos de menino-Jaguaribe quando escutava falar em um filme que estava concorrendo em dez categorias diferentes do Oscar. Aqui, sem muito esforço, apenas lembrança de cinéfilo, me vem à cabeça Titanic (James Cameron, 1997), que recebeu 14 indicações e 11 prêmios; “Ben-Hur” (William Wyler, 1959), com 12 indicações e 11 prêmios, e ... Leia Mais »

Confissões para um pecador que confessa santo não desejar ser

confissões

Agostinho de Hipona.  Estranho? Muito.  Hipona? Também achava. Hoje, não.  Hipona é uma cidade na província romana da África. Mas tudo mudou. Tudo flui. Heráclito estava certo. Ambos estão.   O de Éfeso e o meu pai de Jaguaribe. Hipona hoje é Annaba.  Na Argélia. Tá explicado. Nada mais a estranhar.  Mesmo não sendo réu confesso que gosto dele.  Santo Agostinho. ... Leia Mais »

cego é quem não ver que o amor pode cegar…

amor é cego

NÃO TENHO certeza da máxima/. PARA MIM/ o cego é quem não ama/  MAIS AINDA:/ é aquele que não ver/que o amor de cego de nada tem/  Pode até  cegar/ E MESMO  que não visse/Seguiria o caminho que vai dar/ no coração dos homens de bem/ UMA CAMINHADA/ Com a segurança de quem de olhos abertos/ corre para abraçar um filho. Leia Mais »

esse vazio que me enche

vazio-agudo

diferente do poeta./estou vazio de tudo/ mas  tem jeito/ tudo na vida tem/vem/ és  única/ às vezes dizem/ só “não tem um jeito para a morte”/mas essa não precisa de jeito/tem um jeito próprio de ser/ viver/é imortal/ela é a tal/entre o matar/e morrer. Leia Mais »