Conhecer-me!  Eis aí o “x” da solução!

Conhecer-me! Eis aí o “x” da solução!

Tentei. Não consegui. Devorar-me? Nem pensar! Aceitei o fato de ser um desconhecido para mim. Mas essa história de não existir salvação fora da sociedade é tolice. Muita. Insensatez. O cara que disse essa besteira deveria estar doente de solidão. Deve. Não brinquem! Essa doença existe! E mata!

Gilberto Nascimento é compositor e poeta. Parceiro e amigo. Irmão. Escolhi-o para irmão. Pois bem. Gil não é um solitário. Também não sou. Mas o poeta é poeta. Fingidor. Finge dor.  Ele o é.Vocês sabem. Ou não sabem.

 Aqui lembro que Gil disse um dia que “o homem nasce, vive e morre só”. Nascer… Tudo bem.   Agora, morrer solitário, nenhum homem morre.  Ninguém. Não vou morrer assim. Nunca.  A gente nasce singular e morre plural! Multidões dentro do peito! Essas a gente leva quando troca de roupa e vai morar noutra cidade!

Muitos – esses doentes de solidão – acham “melhor sofrer junto a ser feliz sozinho”. Não acho. Sofrer só ou acompanhado ou mal acompanhando é pior que ser feliz sozinho. Muito. Ah, nada de “pior”. Viver feliz em qualquer canto é sempre uma felicidade (gostei)!O sujeito feliz sempre estará em boa companhia. Ele é a sua melhor companhia.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


8 + seis =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>