CORA… CORA… CORA LINDA!

simples. leio poemas de cora coralina. poemas feitos de papel picado. confetes. leves.  assim se parece. parecem.nenhum poema surge com o peso  do tempo. nem precisa de muita história. ele vem. cora faz poema como quem conta história de ninar para o neto. bisneto.  neto do bisneto. neto do neto do bisneto. ela não quer fazer poesia. é a própria. agora, nesse exato momento, divido com ela o silêncio dos poemas. os seus. cora é linda. cora linda!  ouvir. ler. ouvir e ler de novo. agora faço.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


− dois = 5

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>