Vamos em frente, Teixeira!  ainda nem terminou o primeiro Set!

Vamos em frente, Teixeira! ainda nem terminou o primeiro Set!

O meu amigo e quase irmão José Maria Teixeira de Carvalho, o Teixeira para muitos e o Têta para outros, esses poucos, vem lutando contra um mal em que (o seu e o meu Deus há de querer) ele, um sujeito do bem, sairá vencedor.   É uma luta de gigante.  Mas nada que ele, esse Deus onisciente, onipresente e onipotente, assim como eu creio e muitos também, não possa curar.  Também nada dessa história de um “Deus do impossível.”  Por quê? Simples:  porque não há impossível para Ele.

Agora, nesse exato momento, o bom José está se preparando para ganhar a partida a partir do segundo Set. Por que Set e não Tempo? Porque é nesse esporte que ele é craque. Tênis de mesa. E, por favor, não o chame (o esporte) de Ping-Pong. Zé não gosta. Sente como se quisessem diminuir, chamando-o assim, o tamanho do seu amor por ele.  Aqui me refiro ao jogo. Não direi também que foi um craque. Os amigos bons, assim como ele, sempre craques serão.  E José é um deles.

Não faz muito tempo ele esteve por aqui distribuindo presentes entre amigos e apostando no futuro.  O presente ele? Há de receber muito em breve. Um presente que lhe trará um futuro de saúde e paz.  José Maria Teixeira de Carvalho merece.  Não conheço uma só alma viva que tenha algo para dizer contra esse sujeito de ótimos predicados. Um sujeito bom por natureza.  Caetano veloso – que não é um mau sujeito – disse um dia que a única coisa que gostaria de ser nesta vida era um “bom sujeito”. Pois é. O bom José Maria alcançou essa condição sem quaisquer esforços.

Agora Teixeira luta para dar continuidade ao bom sujeito que sempre foi.  Tenho a certeza de que Zé acredita muito em oração Negócio seguinte: se todos alimentam um pensamento bom e pensam naquele que desse alimento precisa, esse com certeza será alimentado. É assim que vejo a oração: pensamentos positivos e a crença em um Deus para quem o impossível não existe.

O bom José precisa mais que nunca voltar a ser esse sujeito que caminha célere para um dia ser ótimo. Torçamos por isso. Peçamos por isso. José faz falta a esses que sempre o tiveram presente.  Muitos sentem.  Plural. Assim mesmo. São muitos os que desejam de coração que José coração bom volte a bater forte no meio dos muitos que de coração gostam dele. Mas, afinal, ele nunca esteve só. E agora, meus amigos, mais bem acompanhado estar ele merece.

E assim seguimos com ele. Se não estamos presentes no físico, na alma todos com ele estão. No pensamento. No desejo de uma breve e total recuperação. Todos torcendo para que essa sua estada na cama de um hospital não passe de uma parada necessária para tirar essa pedra que sempre insiste em aparecer em nosso caminho. O mesmo aconteceu comigo outro dia. Retirei-a. Não sozinho. O pensamento positivo e os positivos pensamentos de poucos e leais amigos foram essenciais. Assim acontece com o bom Zé. Nenhuma dúvida. Ele há de retirar essa pedra do caminho. Precisa. Pois, afinal, todos os amigos, sem exceção, dele precisam também.

Vai, zé, levantas e andas! E contas com a gente nessa tua caminhada.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

2 comentários

  1. Linda homenagem! As palavras são como o trem das cores , pura idelogia pra viver.

    • Humberto

      obrigado, mago! no meu caso, as cores pintam esse trem abastecido pelos bons pensamentos! sempre assim! irei usá-las assim até que as sobras do meu silêncio me peçam para parar e, parando, paro por perto!palavra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


− seis = 0

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>