E se as crianças gritassem, logo após o hino, “O Brasil feliz de novo” ?

E se as crianças gritassem, logo após o hino, “O Brasil feliz de novo” ?


NENHUMA NOVIDADE:  não votei no Bolsonaro.  Por quê? Eu conto. Dias antes, vocês sabem também, pois fiz questão de espalhar por aqui, pela primeira vez, mesmo sentindo aquela frustraçãozinha de quem fica em cima do muro, coisa que nunca fiz, iria votar em branco, mesmo sendo preto. Vamos lá.

Pois bem.  Pensei, pensei e cheguei à conclusão: fui PT, hoje não sou mais, mas votar em Bolsonaro seria trair a minha história. Ladrões ?! Isso é outra coisa. E assim pensando, mesmo sabendo que o barco já estava afundando, votei em Haddad.

 Mas sou daquele sujeito que mesmo sendo contra todos que apoiam o fascismo e tudo que me lembram dele, torço para que as coisas deem certo. Não sou o tipo de achar que tudo vai mal e, por isso mesmo, desejo que as coisas piorem. Isso, entendam-me bem, em se tratando de tudo ou quase tudo.

Nesse instante, por exemplo, lembro aqueles que mesmo sem uma fundamentação capaz de sedimentar os seus comentários, dizem por aí que tudo que o Bozo faz, junto a sua equipe, é uma “merda”. Assim mesmo: “Tudo que eles fazem é uma merda!”.

 Não tenho visto, embora mantenha sempre o rosto na janela, tanta merda feita por ai nesses seus poucos meses do Governo Bozo. Se o homem ainda não está com o seu “governo na mão”, tentando dar sentido ao espetáculo que começou a dirigir, disso ninguém tem dúvida.

 Mas, afinal, ainda perguntando por ai, se o “herói da pátria”, Fernando Haddad, eleito fosse, não estaria também fazendo as suas “merdas”? Essas mesmas merdas que dizem por aí? Eu, assim de pronto, como quem bate o martelo na primeiro lance ao ouvir o 17, posso enumerar uns tantos que ele, se eleito, Haddad, não deixaria de fazer.

Agora mesmo foi só um Ministro do Bozo dizer que os alunos, com esse S, claro, deveriam cantar em suas escolas o Hino Nacional, correram hino nacional ministroalguns mensageiros do atraso, taparam as bocas, fecharam os olhos e ouvidos e disseram que “Haddad não faria isso”. Como?! Não ouvi bem. Repitam, por favor: “Haddad não faria isso?!” Pois é, caros amigos e inimigos declarados e ocultos, esses que todos tem, foi ele mesmo, Fernando Haddad, então Ministro da Educação do Governo Lula que endossou essa “obrigatoriedade absurda”, imposta  pelos governos de Getúlio Vargas e (atentem) Garrastazu Médici!

 Se estou aqui defendendo o Bozo? Não. Ele tem os seus bons advogados pagos pelo povo, e seus babões todos de graça. Quero apenas dizer nestas muitas palavras, com pouca tergiversação, que para se dizer que o “rei está nu” é preciso saber o motivo de o monarca assim estar. Mas não sair por ai dizendo que além de ele estar com bunda suja de fora e cheirando mal, só porque a vizinha, essa que não gosta dele, sempre detestou a monarquia e não acha graça nas piadas do seu bobo da corte.

Em tempo: se foi uma “merda” do Ministro do Bozo? Foi. Misturou tudo. Religião, política e educação. Mais: a gravação – acho que seria filmagem – das crianças cantando o Hino Nacional foi a merda maior.  E o “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”? Uma merda também.  E se fosse “O Brasil Feliz de Novo”? Ai seria uma merda maior ainda.hino nacional cantar um

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


nove × 5 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>