E se Deus não existisse?!

E se Deus não existisse?!

EU PLURAL: não pense você leitor meu que este MB está a perguntar ou imaginar um mundo sem Deus.  Nem pensar! Nunca passou por esta cabeça em constante estado de evolução (sic) a negação da existência de um Deus. Nunca duvidei de Sua existência. Mesmo que às vezes fraqueje em minha fé.  Mas e ai? Nenhum problema.  Acontece com todos. Ou deveria acontecer.

 Acontece que nesta epidemia corona tenho relido algumas coisas “velhas” que me parecem cada dia mais novas. Um exemplo? Os irmãos Karamazov do Dostoievski. Um “novo” que foi   lançado em – pasme! -1880!

 Mas, como disse no começo destas mal-traçadas, este MB, pelo menos até agora, não tem motivo para questionar a existência ou não de Deus.

Mas, afinal, quem foi  sacou essa hipótese ? Entrego: foi ele de novo, O Ivan Karamazov, esse mesmo com pH de Pharmacia, questionador, que NUNCA DISSE (pelo menos como dizem por aí) que se “Deus não existisse tudo seria permitido”.

 Mas convenhamos que é uma hipótese muito bem sacada: “Se não existisse a religião e também não existisse Deus – não fala “um Deus”-, como estaríamos, melhor ou pior na condição desse projeto de Deus que – infelizmente – não deu certo? – 1berto de almeida.

 Deixo a bola com ele, Ivan, o Pensador:

“Quando a humanidade, sem exceção, tiver renegado Deus (e creio que essa era virá), então cairá por si só, sem antropofagia, toda a velha concepção de mundo e, principalmente, toda a velha moral, e começará o inteiramente novo. Os homens se juntarão para tomar da vida tudo o que ela pode dar, mas visando unicamente à felicidade e à alegria neste mundo. O homem alcançará sua grandeza imbuindo-se do espírito de uma divina e titânica altivez, e surgirá o homem-deus. Vencendo, a cada hora, com sua vontade e ciência, uma natureza já sem limites, o homem sentirá assim e a cada hora um gozo tão elevado que este lhe substituirá todas as antigas esperanças no gozo celestial. Cada um saberá que é plenamente mortal, não tem ressurreição, e aceitará a morte com altivez e tranquilidade, como um deus. Por altivez compreenderá que não há razão para reclamar de que a vida é um instante, e amará seu irmão já sem esperar qualquer recompensa. O amor satisfará apenas um instante da vida, mas a simples consciência de sua fugacidade reforçará a chama desse amor tanto quanto ela antes se dissipava na esperança de um amor além-túmulo e infinito. – página 840 da editora 34.

 

 

 

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


cinco + = 9

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>