EU NUNCA MAIS NAVEGAREI…

EU NUNCA MAIS NAVEGAREI…

Um dia,  naquele giradouro  sem poesia  da UFPB,  esse mesmo onde o vento não faz a curva nem se curva, num “papo etílico” com o “poeta do mar’ Lucio Lins, ele me dizia: “Um dia ainda ancorarei o meu barco num raio de sol! ”. Sorri. Lembro-me bem. Ele também. Dei-lhe então a letra que fiz – ou vice e versos – para a música de Gil de Rosas. Velas. Ele, naquela sua maneira de Lúcio Lins ser, achou “arretada”.

Agora, anos depois de ele  sair com o seu barco à procura outros mares, nesta manhã nada poética de terça-feira, deparei-me com esse seu belo canto molhado pelas águas do extremo  Cabo Branco, o seu estranho trampolim:

 

“meu barco
deu-se aos intervalos
das águas
e hoje
eu nunca mais navegarei…”

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


− 2 = um

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>