HERMETO PASCHOAL: o feio que fazia bonito

HERMETO PASCHOAL: o feio que fazia bonito

É fato. Há muito desconfiava que a não inclusão de Hermeto Paschoal no excelente Quarteto Novo tivesse outro motivo. Mas, agora, relendo uma das muitas ultimas entrevistas do octogenário Geraldo Vandré o motivo, segundo o mesmo, era totalmente diferente do que pensava: feiura.

 Segundo o filho do Dr. Vandregisilo, Hermeto Paschoal não fez parte na inicial formação desse excelente grupo, o Quarteto Novo, porque o Lívio Rangan, então diretor de marketing da Rhodia, vetou a sua inclusão. O motivo ? feiura! Hermeto era feio demais para fazer parte de um  grupo tão bonito.

Tão vendo? Desde aquele época era bonito implicar com o feio.  Ora, logo quem – Hermeto Paschoal!  Um dos mais geniais músicos já paridos por esta musical terra brasilis. A escolha, infelizmente, estava na cara: Hermeto Paschoal era feio.  

Mas, passada a fase da feiura, descoberto como um dos mais belos instrumentistas dessa terra que acabei de falar, a brasilis, o Quarteto Novo era formado com Hermeto no piano e flauta, Heraldo do Monte na viola e guitarra, Théo de Barros no baixo e violão e Airto Moreira na bateria e percussão.

Só para não deixar no ar a pergunta que não quer calar: um dos meus dois leitores saberia dizer, não tivesse lido estas mal-traçadas, quem foi ou quem era Lívio Rangan ?

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


três × 1 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>