NADA DE BOM DIA, VIETNÃ! BOM DIA A MINHA SEGUNDA-FEIRA!

NADA DE BOM DIA, VIETNÃ! BOM DIA A MINHA SEGUNDA-FEIRA!

Não sei se isso acontece com vocês. Comigo sempre. Pois é. Hoje acordei com aquela certeza de que o domingo ainda não acabou! Juro! Acreditem!  Mesmo gostando muito da segunda-feira, assim como poucos , confesso que ainda estou vivendo o domingo!

Ora, para quem gosta da segunda-feira como eu – e ela, a segunda, acredito, também gosta de mim – encontrar-se ainda vivendo o domingo é porque deve ter algum bom motivo para isso.  Verdade ? Mentira!  Não tenho!  Repito: Não tenho!

O domingo foi somente chuva e sol dentro do peito queimando o que deveria ser queimado e esquentando o coração!  A segunda? Confesso que ainda estou assim declarando a ela todo o meu amor ou fazendo de conta que o mais importante é esse domingo que ainda não acabou!

Hoje, segunda-feira, essa que parece ser igual a tantas outras,  vai continuar sendo ela por todos os dias!  É claro que vocês não entenderão esse meu gosto especial pela segunda-feira!  Se estou aposentado? Ainda não!  Falta muito ainda! É que a segunda me surge assim como o começo de tudo, especialmente da semana! Uma semana que tem tudo para ser a melhor desta vida nada Severina!

Pois é. Anda aqui recordando a falta que esse domingo me fará tenho os pés no chão e a cabeça cheia de esperanças! Nada me abala! Nem uma bala perdida que nunca irei encontrar seria capaz de me tirar do sério! Graças a Deus! E sorrio cheio de graça por isso!

A única coisa que sei e que estou cada vez com um pé no chão e outro dentro da água medindo a profundidade do rio!  Vocês num sabem – eu gostei desse “num – o que é o sujeito amanhecer em si, sem refletir nada sobre o passado, postar-se diante do espelho e perguntar “como estás?” para em seguida responder “muito bem!”! E depois dele se afastar como se nada tivesse passado!  Sentindo que tudo está mais presente do que nunca!

Pois é. Foi assim que amanheci nessa segunda-feira cheia de manhãs de domingo! Sentei-me aqui e comecei a exercitar esses dedos malabaristas. Sem nada de lembranças do passado. Por quê? Ora, porque vivo o presente mais que nunca! Nada acabou! Sinto isso de norte a sul deste corpo de quase dois metros de altura!

Estou sem problema ou medo de ser feliz. Sempre.  Mas nem falo aqui em felicidade. Falo sobre a falta de medo. Essa merece o registro. Sou um sujeito que não teme apostar no futuro. O futuro? Ora bolas! O meu futuro é aqui e agora. Mais que isso: o melhor lugar do mundo!

De quando em vez volto ao ponto de partida para saber se alguma coisa mudou. Nada! Nada mudará se não mudarmos primeiro! E sabem de uma coisa? Não vou mudar nunca o meu amor pela segunda-feira!  Nunca!

Primeiro, porque não tenho motivos para isso. E, segundo, o domingo é um dia para amadores!  E não sou amador! Isso mesmo: uma pessoa como eu não ama a dor! Sou todo alegria! Mais que isso: sou todo coração quando se trata de viver a segunda-feira! Eu vivo!

Palmas para este malabarista de palavras que ele merece!

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


nove + = 12

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>