o colorido dos nosso olhos de cidade no maracatu de nazaré da mata!

o colorido dos nosso olhos de cidade no maracatu de nazaré da mata!

O ano tá lá.  Cacofonia ? Tô sabendo. Mas nada de colarinho gramatical e gravata léxica  nas palavras e pensamentos. Tá lá. Assim mesmo. O ano foi o de 2016.  E nesse estávamos na maior folia no carnaval e sentimentos.

Dias antes os amigos Zé Nilton e Antonio David, sobretudo esse segundo, com um livro prontinho, prontinho para ser lançado sobre os vaqueiros e assemelhados,  e outro – esse muito esperado – sobre essa festa do Maracatu, nos haviam falado sobre a beleza festiva e carnavalesca  que morava em Nazaré da Mata, ali em Pernambuco.NAZARE FLOR 

 Achando mesmo interessante o fato, resolvi sair da cidade para viver o carnaval da mata. Assim,  sem mala e cuia, fretei um taxi,e me danei para lá.  E como eles  tinham razão: é muita beleza para ficar restrita apenas a Nazaré da Mata. Essa  precisa ser mostrada também  aos da cidade. Uma festa que ganhou  o mundo, mas o daqui de pertinho continuam com os ouvidos e olhos para um carnaval sem graça que agora nem mais Muriçocas ele tem.  Nesse dias – segunda e terça de carnaval –  a pequenina Nazaré da Mata se transforma na Terra do Maracatu.

 E assim fomos virados num dindim para assistir ao espetáculo dos maracatus soltos. Foi um  baque! O Maracatu Rural é uma beleza de encher olhos e almas!   E faz tempo! Dizem que ele vem  lá dos anos de 1700, 17111…. Por aí. Tem mais:  sua origem mesmo é afro-brasileira. Dizem também.  E que surgiu aí bem pertinho, em Pernambuco, no século XVIII.

 Deus do céu! É  uma mistura da gota serena de bonita! A sua dança e  música são arretadas. Agora, para os olhos, a festa está mesmo em suas roupas coloridas. Direi mais: as cores doem nos olhos!  Mas peraí, peraí. É bom acrescentar que essa dor é uma dor prazerosa! Uma beleza!

Pois é. Vimos o famoso Maracatu do Baque Solto, o  rural.  O Maracatu de Nazaré da Mata. é feito pelos trabalhadores rurais ali da região. Os caboclos de lança chamam a atenção de todos. Só vendo para assim ser chamado por eles!  Achei arretado (gosto da expressão) vê-los  com as suas flores brancas nos cantos das bocas (plural, plural, por favor) e as cabeças cheias de fitas c parecendo medusas coloridas!

 nazare muito boa doisEram fitas nas cabeças que não acabavam mais. Um espetáculo para os olhos! Prestei atenção nas muitas lantejoulas com que eles enfeitavam a suas golas e o orgulho quando as exibiam!  Um dia ainda conto mais.

 Se valeu a pena ter deixado esse carnaval sem graça daqui que se acaba na véspera e sair para maracatuar em Nazaré da Mata? Ora se valeu! Um dia ainda, pois estou esperando tão somente o Corona ir embora para nunca mais voltar, vou mais uma vez maracatuar em Nazaré da Mata!  Os caboclos que me esperem! Nesse ano eles terão mais um caboclo se lançando por lá!

Em tempo: as fotos rápidas foram flagradas pelo olho de amador (amo mais o regalo – epa!) deste Malabarista de palavras.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


7 × quatro =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>