O DEUS MENINA DE GIL DE ROSA

Gil de Rosa é um dos mais inspirados compositores destas plagas. Sentiram o plural? Assim mesmo: no plural. Em qualquer outro lugar deste verde-amarelo, com “esse S” -leia-se “exceção”-  destas belas plagas parahybanas, Gil há  muitos estaria no restrito patamar das melhores referências musicais da terra de   Reginaldo Carvalho. Por quê? Ora, por aqui não é o caso de santo de casa não fazer milagre – nesta  nossa  bela e musical  casa parahybana nem santo  existe!

Essa é uma de suas mais belas composições. O filho de seu Antonio e Dona Rosa soube casar, sem nenhuma separação consensual ou litigiosa à vista e divórcio nem pensar, letra com música numa felicidade rara de ser vista/ouvida por aqui.  Um  belo poema musicado!

 Escutem e tirem as suas conclusões, pois, as minhas, amigo/irmão/parceiro dele que sou há muito, há muito as minhas eu já tirei: um músico-poeta como poucos que conheço.Maria Bethânia, essa que hoje é sem dúvida a maior cantora/intérprete do verde-amarelo, se ouvisse, como acredito que ouvirá, não deixaria passar em branco (nem em preto): gravaria.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

2 comentários

  1. Gil de Rosa (Gilberto Nascimento)

    Muito obrigado, meu caro amigo/irmão/parceiro! Só de alguém como você receberíamos uma avaliação tão generosa.

    Um grande abraço, Gil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


7 × oito =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>