o fantástico foi uma farra ou essa farra foi fantástica ?

o fantástico foi uma farra ou essa farra foi fantástica ?

Ontem no Fantástico, programinha que de fantástico mesmo nada tem, foi uma festa. Ou melhor: uma farra.  Todos estão falando desse programinha que para mim não passa de mais um programa de índio onde as caras-pálidas dos brancos são todas pintadas.

Os ladrões – não tenho como dizer de outra foram – e corruptos da Operação Lava Jato foram os personagens do filme.  Tudo bem que a gente desconfia como vai terminar. Este “Malabarista de palavras”, porem, mais que desconfiar tem certeza que no final é o povo que vai pagar o pato. E o galo. E as galinhas. Nenhuma dúvida.

No final do filme eles serão absolvidos – “absorvidos” eles há muito deveriam ter sido – e montados nas suas belas Ferrari, todas compradas com o dinheiro que nos roubaram, dispararão para as suas fazendas e casas de praia. Essas também roubadas.

Mas que foi gostoso saber que sujeitos que antes dormiam em palácios e passavam nos peitos as mulheres mais bonitas e desejáveis, essas que estão por ai à venda e se “disputa”, escolhendo qual aquele que lhe paga mais, agora comem “quentinhas” e dormem num espaço que mataria sufocada a cadelinha de Ana Maria Braga, ah, isto foi.

Só faltou – para que a farra fosse completa – mostrar as caras dos sacripantas com expressões de cachorros humilhados pelos seus donos. Não assisti. Depois da chamada o sono me chamou. E como não sou de recusar o convite de Hypnos, a ele me entreguei. A Hypnos não, ao sono.

Mas fiquei com aquela sensação de que se tivesse visto nessa mesma noite onde esses pulhas estavam dormindo, dormiria mais tranquilo e o sono seria mais restaurador. Meu Deus!  Tai uma boa oportunidade perdida por que não assisto ao Fantástico! Mas tudo bem.  Não perdi muito.

Primeiro ninguém perde muita coisa deixando de assistir ao Fantástico.  No entanto, se as suas – dos ex-crotos – caras ficassem expostas como as daqueles famigerados bandidos do oeste americano e escrito embaixo “encontrados”, acho que iria ficar ainda mais triste por ter perdido o Fantástico.

Só queria mesmo era ver a cara dos descarados.  Eles? Não estariam nem aí. Os ex-crotos não têm vergonha nas caras limpas e sem vergonha. Mas, se a s suas – deles – caras fossem mostradas, não me admiraria se nessas um sorriso estivesse estampado.  Além de ladrões e corruptos são cínicos.

E o banheiro com banheira de ouro em que eles deixavam o comido para que os pobres e roubados que formam esse roubado e explorado povo verde-amarelo? Agora, pelo que me contaram, só falta mesmo comer o que botam pra fora. Mereciam? Merecem.

Nunca me emputeci (assim mesmo) tanto com o fato de estar sendo roubado e os ladrões nem aí para as minhas reclamações. Não me importar se Moro ou outro qualquer esteja morando – moraram? – nas pilantragens dessa turma de sacripantas. Tem mesmo é que fazer com que essa quadrilha fique acostumada as quentinhas que infelizmente ainda lhes são servidas. Todas pagas por nós.  E não reclamem o colchão duro em que estiram seus – deles – corpos apodrecidos e ainda insepultos.

Se estou puto com tudo isso?  Ora, isso é pergunta que alguém possa fazer neste meu puxar de descarga?

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


cinco − = 1

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>