os ônibus não param e no entanto eles sempre enriquecem…

os ônibus não param e no entanto eles sempre enriquecem…

O tempo não para. Os ônibus também não podem parar. Não é uma questão de tempo. Mas de lucro. Os empresários que usam essa concessão pública estão pensando no privado. Apenas.  A saúde do povo pouco ou nada importa. Assim parece. Todos com lenços cobrindo os narizes, e documentos marcados pelo cifrão. É o importante para eles.

Imagino a tragédia sobre rodas se um de nossos sofridos passageiros não conseguir segurar o espirro. Será o caos. A tosse é a véspera do escarro? ‘Assim diria o nosso poeta-mor Augusto dos Anjos.  É proibido tossir. Diria, mais uma vez, o Caetano Veloso.

Achei por bem lembrar. Fosse hoje esse seria sem dúvidas um bom título para aquela música do Caetano que pede para quebrar vidraças e outras peças de vidro. As janelas dos ônibus não. Nesse caso esse será “depredação” da “coisa pública” que é privada.

Faz tempo que não tomo um transporte coletivo. Pausa. O mesmo acontece com a cerveja. Mudei a bebida. Somente a água continua sendo o onibus motoristameu “vício” preferido. E desse nunca pretendo deixar. O álcool em gel? Esse não é a solução. Melhor: é uma solução. Essa composta por álcool etílico, carbono, trietanolamina e água.

As máscaras? São muitos os que ainda escondem os rostos com vergonha da exploração desse povo bom e ordeiro. Cordeiro. E aqueles que alegarão que se comprassem as máscaras não sobraria para a passagem? Não tem perdão. Pagam com mascaras ou serão desmascarados no salão… do ônibus.

Verdade que não se deve brincar com a miséria alheia nem a desgraça de muitos. Outro dia escrevi para um colega pedindo-lhe para tirar a charge/cartum que ele publicara sobre a “Festa do Corona” neste São João sem fogueiras. Não foi censura. O humor também tem o seu limite. Se você não pode fazer humor a favor – não se faz nunca! -, fique no lado do contra.

Não é pedir que você faça o que chamam por aí do “politicamente correto. Não é isso. Também não me venha com a história da “liberdade de expressão”. Nada disso. Apenas não vejo humor em charges como aquela feita “em cima” da tragédia gaúcha por um dos apenas bons Caruso. Tão lembrados?

Sinto o quanto os passageiros de ônibus nesse tempo do Corona já estão sofrendo mesmo antes de tomar uma dessas “geringonças”.  Esses estão limpos do Corona? Duvido. Nem eles estão. Os empresários.  Mas garantirão essa limpeza, e fim de papo.

Duvido que se uma proposta fosse feita para que esses – os empresários. –  fizessem uma viagem num de seus “limpos” ônibus, entre um bairro e outro, eles aceitassem.  Alegariam que têm famílias e não iriam colocá-las em risco tamanho. Mas, somente assim seria dito, depois que eles tirassem as suas das seringas da corona.

Sinto por eles. Os empresários não. Os doces passageiros dos nossos – isto é, deles. – velhos e sujos transportes públicos. Que deus os acompanhe. Só Ele para garantir a saúde deles.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


4 − = zero

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>