Os rios de Sérgio de Castro Pinto
o meu rio jaguaribe navega em mim...

Os rios de Sérgio de Castro Pinto

 

ah, rios, poeta,  só rio! fosse o meu jaguaribe navegaria nele! Mas sendo o meu rio o único e o mais belo que me corre dentro do peito, só me resta navegar nos rios que inventas , bebendo poesia a sua margem,  de  caniço pensante pescando imagem!

 

 

rios, cidades, poetas

(Sérgio de Castro Pinto)

 

o paraíba, o mamanguape,

o tigre, o eufrates

o tejo, o sena,

 

não desviam o curso do poema.

 

o poema, nenhum rio

ou cidade o fazem.

só os poetas, à margem do lápis:

 

caniço pensante na maré vazante da linguagem.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


9 − sete =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>