Panem et circences!

Panem et circences!

pao e circo doisPão e circo. O povo só desejava isso. Deseja. Nada mais que isso. E por isso mesmo vamos dar pão e circo ao povo.  Falou assim o  prefeito. Nada de sátira ou Juvenal. Nada do imperador Vespasiano. Foi o prefeito dessa nossa conhecida cidade sertaneja.  Não se pedia que ali se construísse  um Grande Coliseu.  O pedido do Secretário era o que povo pedia e precisava. Escola e cultura. Moradias. O fim das casas de taipas. O prefeito coçou a cabeça, sorriu, um sorriso somente deboche, e vaticinou: “Ora, casas para o povo?!  Cultura e arte?! O povo precisa apenas de pão!  E para  esse pão desça melhor no estômago vazio, fazendo-o esquecer de que esse é o seu único sustento, pão e apenas pão, espetáculos circenses”!  Pão & circo. Ele ora eleito pra dar continuidade a essa praga. Assim estava sendo feito. Ninguém nada falou. Ele? Silenciou de vez. O palhaço sem dúvidas era ele. O circo? Ele vestindo somente lona.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


seis × = 48

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>