Pingos

ó vírus arretado esse! é du…ke!

sem tempo.  o tempo é pouco. muito. mas mesmo assim, sem tempo, resolvi deixar um pouco sobre esse genial chargista. amanhã ou depois falarei um pouco mais sobre ele. seus ótimos traços e ótimas ideias. riam. vale a pena ainda. vocês não serão gravados sérios. sobre o duke? eduardo dos reis evangelista (belo horizonte, 1973), mais conhecido pelo pseudônimo duke, é um chargista, cartunista ... Leia Mais »

Cem anos e Sem esquecimento!

sem anos não são cem dias. assim como cem dias não são sem anos. estou numa de vinho. naquela:  se quer vinho venha. mas é um pouquinho diferente do venha se quer vinho. se quer vinho, traga! nada a ver com cigarro. vinho? venha!  tergiversando. tergiverso. essa ” musiquinha” aí  enviada agorinha pelo amigo isvi está fazendo cem anos! muito ... Leia Mais »

E LÁ VAI O ATLETA SUBINDO AS DUNAS DE GENIPABU!

Se foi fácil? Confesso que não. Para mim não foi.  Desse universo internético conheço muito pouco. Não é pela falta de interesse. Tempo. Isso. O mesmo tempo que me falta para colocar os meus livros em dia.  Esse mesmo que me falta para mergulhar nesse belo universo da tecnologia. Mas para ele nenhuma dificuldade. BB.. Nada a ver com Brigitte Bardot. ... Leia Mais »

cego é quem não ver que o amor pode cegar…

amor é cego

NÃO TENHO certeza da máxima/. PARA MIM/ o cego é quem não ama/  MAIS AINDA:/ é aquele que não ver/que o amor de cego de nada tem/  Pode até  cegar/ E MESMO  que não visse/Seguiria o caminho que vai dar/ no coração dos homens de bem/ UMA CAMINHADA/ Com a segurança de quem de olhos abertos/ corre para abraçar um filho. Leia Mais »

esse vazio que me enche

vazio-agudo

diferente do poeta./estou vazio de tudo/ mas  tem jeito/ tudo na vida tem/vem/ és  única/ às vezes dizem/ só “não tem um jeito para a morte”/mas essa não precisa de jeito/tem um jeito próprio de ser/ viver/é imortal/ela é a tal/entre o matar/e morrer. Leia Mais »

a rosa

a rosa a caminho do pão de açucar

rio no mês de agosto. a gosto. ou dezembro. por aí. fim de ano. começo de vida. pão de açúcar. a rosa doce. uma doce rosa. saíamos do mar para desaguar no rio. alguma coisa estava fora da ordem. mas queríamos que assim fosse.  foi. mergulhamos no rio ainda com o gosto de sal em nossos corpos. a rosa continua viva. ... Leia Mais »