Pingos

Um ilha cercada de lixo por todos os lados

areiaverm01

Não sou frequentador areia vermelha ou incolor.  Nunca fui. Sou mais uma beira-mar acompanhando de uma cervejinha com ou sem cor. A cor é o que menos importa. Também não sou de picão ou picãozinho. Deixo isso para alguns colegas. Mas concordo em limpar Areia Vermelha de farofas e farofeiros, mesmo que  esses estejam posando de “nouveau riche”, todos limpinhos ... Leia Mais »

Mangue e bichos e no “Folia de Rua”

folia-de-rua

Apesar da pouca ajuda que dizem ter recebido este ano a “folizada” promete fazer um carnaval em que a criatividade vai superar a falta de recursos. Nada de praia. Eu faria na velha Maciel Pinheiro. Ali ainda existem muitas casas com esse fim. Seria um bom e criativo começo. Ou ficaria melhor criar um bloco barato e batizá-lo de “Os ... Leia Mais »

A metáfora no saco

saco de papai

Passou o Natal, mas a lembrança ficou. Eu,  a cabeça cheia de invenções, passei batido. Agora, aqui com a coluna doendo mais que a consciência de Judas, se é que Judas tinha consciência, lembrei-me  que um psicólogo chamado Richard Sterba passou um tempão, quase meio século, perguntando a Deus e ao mundo por que Papai Noel carrega presentes num saco ... Leia Mais »

Eles continuam roubando e livres e leves e soltos!

banqueiros

Insisto em cobrar: os banqueiros estão cada vez mais ricos. Os lucros extrapolam a casa do bilhão. O mais triste dessa história é que nenhum banqueiro até agora foi preso por isso. Nem vai. O Bertolt Brecht continua coberto de razão: fundar um banco, hoje e sempre, sempre vai ser muito mais lucrativo do que roubar um banco. Em tempo: esses ... Leia Mais »

Danuza também poderia confessar que viveu

o tempo é implacável mesmo (principalmente) para os que viveram...

Não cheguei a ler o “gran finale” do “Quase Tudo” de Danuza Leão, lançado em 2005, mas que só agora, sem nada para ler, passeando pelo Shopping Tambiá, espaço com cheiro de plástico assim como todos os outros de sua espécie, comprei-o para matar o tempo.  Não o matei ainda.  O livro ? Uma promoção. Mas se querem saber de ... Leia Mais »

Os olhos não veem? Ó coração inocente!

voltando a escrever

Por motivo de força não muito grande, trabalho, apenas trabalho, passei esses últimos dias afastado deste nosso – mais meu que de vocês, por que negar? – singular espaço Plural. Nesse pouquinho de tempo, cinco ou seis dias, acredito, ocorreram coisas que, mesmo se no ar estivesse, uma nota só eu daria. A importância dessas coisas, se é que elas ... Leia Mais »