Pingos

A fome tem cara desses meninos famintos…

famintos

Agora mesmo passaram dois meninos famintos pela minha porta. Nem perguntei se eles estavam com fome. Via-se nas caras. E bocas. No andar. Em todo corpo. Vocês sabem. O corpo fala. O corpo do faminto não se esconde. A fome está nos gestos. Um olhar do faminto é diferente do olhar de quem está de barriga cheia. Somente um imbecil de ... Leia Mais »

Sozinho ou bem acompanhado de si… mesmo ?!

sozinho e cia

Não sei viver sozinho. Uma confissão: estou sempre acompanhado. E bem. Não me acompanho de quem não gosto nem gosto de quem me acompanha sem que eu goste dessa companhia. Viver só é viver bem acompanhado de si mesmo. Sempre. Eu vivo. São raras as vezes que me flagro sozinho ou mal acompanhado. Tem mais: converso muito comigo.  E por ... Leia Mais »

Um assaltante é outro!

transp-valor-vigilante-2x8ijcnl6bdr6m6cmhga2y

Um dos meus dois leitores  – pelo menos um- já percebeu  que as  caras dos caras que fazem segurança de valores   em nossa Província as Acácias  tem caras de quem está com uma fome daquelas de anteontem? Eles passam pelo cidadão com a cara de que esse cidadão e outros ao lado dele formam uma quadrilha disposta a roubar ... Leia Mais »

Natal chega com queijos podres

queijo bolor

Mentira que essas empresas respondam aos clientes que idiotamente preenchem os seus formulários cobrando, gritando, reclamando ou mostrando que  são mentirosas. Nem uma delas. Em se tratando de operadoras/celular nunca esperem que uma delas opere um milagre. Energisa, Carrefour, Bem Mais, Bompreço ou outras não estão nem aí. O cliente se quiser tomar alguma medida que vá tomar no Carrefour. ... Leia Mais »

Tiros dentro da noite e o medo do lado de fora…

tiros

Ontem na madrugada ouviram-se tiros no meio da noite. Não contei quantos. Mas assim de repente achei que ouvi uns cinco. Desconfiei que estivessem comemorando mais uma vitória. Depois mudei de ideia. Não era comemoração, pensei, alguém deixou estirado no chão que não queria em pé. Não ouvi a  sirene(a) cortando o silêncio da madrugada. Ouvi tiros. O medo ficou ... Leia Mais »

O que restou do silêncio ? Palavras! Só Palavras!

capa de o que me restou do silêncio.... BOA PICASA

O que me restou do silêncio é o que as palavras nunca conseguiram dizer. Nunca dizem. Sou o tipo do sujeito que fala mais no silêncio. Mais com o silêncio. Escrevendo O Que me restou… foi uma forma de dizer falar sobre essa minha conversa silenciosa . Cinema, música, televisão, humor… Jaguaribe! Ah, esse não poderia faltar! Lembranças! Está tudo ... Leia Mais »

O silêncio e tudo o que dele me restou…

capa de o que me restou do silêncio.... BOA PICASA

Perguntam-me de que se trata meu primeiro “capa dura” a ser lançado no próximo dia 28, no SESC, balneário da praia. Ele trata de mim, respondo. Das minhas coisas. Do meu mundo cheio de palavras e linhas, mas sem entrelinhas. Tudo às claras. Nele exercito o malabarismo desses dedos que movem o meu pensamento. Sou assumidamente um Malabarista de Palavras. ... Leia Mais »

The face is shit!

Domingo_vazio

Não leio notícias no domingo. Os mesmos jornais. As mesmas notícias. Os mesmos intelectuais e analistas de plantão. O Facebook no domingo é pior. As cabeças vazias da semana enchem-no (epa) de filosofia barata. Barata. A única que ainda me desperta a atenção é o baratão Gregor Samsa. Às vezes só entro nesse espaço para sair de lá sorrido. Gargalhado ... Leia Mais »

Lembrando o meu Pai nesse dia…

Compadre Heráclito: a herança maior ele me deixou...

Eu sou meio burro para entender certas coisas. E isto como sempre confessei neste espaço vocês já sabem. Mas, lá no fundo, que nada tem a ver com o fundo com o qual alguém possa imaginar e o meu amigo João Meneses, emérito leitor e colaborador destas mal-traçadas, pode testemunhar, sempre fui mais cínico do que burro. Agora, de burro ... Leia Mais »

Tota, o meu irmão apressado…

Meu irmão que, apressado, pulou uma etapa...

  Quando eu morrer, um aviso para os meus, não quero choro nem vela, quero uma fita e uma amarelinha que não é uma pilha Rayovac, engatada com o nome dela: Maria dos Anzóis Pereira. Nada de choro no pé (ou seria “nos pés”?) dos meus ouvidos mortos! Tudo bem. Sei que vou partir, mas volto um dia. Na forma ... Leia Mais »