Qual seria a idade de Dapenha se ele não soubesse quantos anos tem?*

Qual seria a idade de Dapenha se ele não soubesse quantos anos tem?*

dapenha sorrindo no rio PICASATarde de Segunda-feira passa rápido. Isso para uns. Embora se pense – muitos sentem – que todos os dias da semana, com exceção do Domingo, esse que passa mais rápido do que qualquer outro demora muito a passar. Nenhum problema. Não reclamaria. Sei apenas que também passarei um dia.

Amanhã, Terça-feira, 1º de outubro, deve passar devagar. Especialmente para José Dapenha – é “da Penha” mesmo – Bezerra de Almeida.  Nome pomposo? É. Um nome digno de um jaguaribense que mesmo distante quase cinco mil quilômetros, morando e vivendo em Ji-paraná (RO), continua mais jaguaribense do que nunca.

Pois é. Amanhã, 10 de Outubro, o meu bom e admirado – e admirável – irmão Dapenha estará aniversariando.

Quantos anos fará? Acreditem. Ele não é daquele de contar o tempo que viveu nem o tempo que a viverá. Muito. Espero e isso queira Deus que aconteça. Ele quer.

Dapenha é aquele sujeito que vive o presente, porque sempre mereceu o seu passado. E por isso mesmo, creio, merecerá ainda mais o longo futuro que ainda terá.

Em todo o seu humor-filosófico, coisa dele, Millôr Fernandes escreveu um dia que o “aniversario é uma festa para lembrar do que resta”. Ah, no caso dele, do aniversariante, ainda falta muito!

Se fossemos mesmo acreditar que a realização do homem acontece quando ele escreve um livro, tem um filho e planta uma árvore, considerando os filhos que tem, os livros que escreveu e as arvores que plantou nesta cidade onde ainda mora, há muito que aniversariante estaria realizado.

Sabe que nem sei a Rua onde ele nasceu?  Verdade. Mas o que importa se ele nasce todo dia aqui entre nós e, agora morando na cidade que adotou e por ela foi adotada, renasce a cada dia?! Pois é. Dapenha nasceu em Jaguaribe. Ponto final? Ainda não.

Dapenha é aquele sujeito que toda a cidade  –  em particular todo o bairro –  gostaria de tê-lo como filho. desse Bairro, e legítimo filho do compadre Heráclito e Dona Chiquinha.

Mas para a nossa felicidade, minha e dos irmãos biológicos ou não, esses  amigos que a gente escolhe como irmãos, Dapenha nasceu em Jaguaribe. Essa minha Republica independente de que tanto fato.

Pois é. Amanhã, 10 de outubro, é dia de seu aniversário. Acho que foi o Cícero, o Marco Túlio Cícero, quem disse que os homens são como os vinhos, esses que a idade azeda os maus e apura os bons.

Pois é. Dapenha faz parte dessa segunda espécie de homens. Com o passar dos anos tem melhorado (e muito!) como pessoa, marido, pai, filho (sempre foi um ótimo) e irmão. Eu mesmo, acreditem neste Malabarista de palavras, orgulho-me de ter um irmão assim.

Feliz aniversário, Bicho, todos os melhores anos desta vida tu mereces.

dapenha e eu

*A pergunta é do filósofo Confúcio, mas a resposta é minha: Dapenha renasce todos os dias!

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

2 comentários

  1. Humberto, com relação ao seu irmão eu digo apenas isso:

    Nossa Senhora DAPENHA, te abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


− 1 = quatro

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>