Renan  com os seus “calheiros” roxos não larga o osso!

Renan com os seus “calheiros” roxos não larga o osso!

Renan, esse que provou para o Supremo que tem mesmo os “Calheiros roxos”, meteu o pau – o próprio – no pau da barraca lá deles, isto é, dos ministros do Supremo, e disse que nem um deles ou todos juntos conseguiriam fazer com que ele largasse o osso.

Assim para a surpresa de muitos e nenhuma minha, pois o que acontecer de sacanagem nesta casa de Mãe Joana em que se transformou o verde-amarelo não me causará o menor espanto, mostrou que aquele “roxo” que o  Collor disse ter um dia não passa nem perto da cor que mostrou ter os seus “Calheiros”,  fez barba e cabelo na esperança desse povinho que continua envergonhado com a decisão do nosso Supremo.  Tudo a mesma coisa.   

Não sei se vocês sabem, mas sou do meio. Pausa.  Não pensem, porém, meio a sacanagem que grassa neste pobre gigante que recebeu uma dose de anestésico maior do que precisava e continua dormindo no seu – dele –  berço hoje nada esplêndido, em pensar em abertura de pernas. Explico melhor: sou do meio  jurídico. Sentiram? Pois é.  E sendo desse meio, a minha vergonha é ainda maior

Decisão judicial e para se cumprir? Acho que entendi mal. Acostumado às sacanagens e peculagens (sic) e roubos e corrupção e outros crimes que não quero encher os sacos de vocês como o meu tá cheio e faz tempo, com esses  crimes e os seus  sacripantas autores , o senador dos “calheiros roxos” entendeu melhor.

Acho que assim como muitos também entenderam, esse ex-croto de quem falo e não fala macio quando o osso que segura entre os caninos estar ameaçado de ser passado para outros caninos, entendeu que uma decisão judicial é para ser “comprida” . E “tão grande” que no final, quando o réu entender que é o próprio que tem algo a ver com o caso,  chega à prescrição. Isso: prescrição. Prisão?Nunca!

E aqueles que disseram: “Votamos mas nessa volta, mesmo sabendo que podemos nos perder (quem foi que disse mesmo que “ninguém se perde na volta”?) , mudaremos os votos nossos?”.

Se fiquei sem palavras? Não preciso delas agora. Fiquei mesmo foi  com vergonha. E muita. Só peço que pelo menos preservem o meu silêncio. Assim, finalizando estas mal-traçadas, deixem-me silenciar.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


+ oito = 17

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>