SARAVÁ PARA QUEM É DE SARAVÁ!

SARAVÁ PARA QUEM É DE SARAVÁ!

Embora não tenha o costume de saudar os amigos assim, gritando com energia A palavra SARAVÁ, sem quaisquer esforços, pois ela soa somente (eco?) energia, acho o seu uso de um bom gosto da gota serena. Digo mais: um uso arretado.

A palavra, mesmo que muitos não saibam o que ela significa, associando-a “apenas” a Umbanda e ao Candomblé, ela vai muito mais além. Agora, quanto a essas religiões, como poucos sabem e alguns delas não sabem nada, são diferentes e muito.  Explico:  uma, o Candomblé, é africana;  e a outra, a Umbanda, verde-amarela. Mas, como dizia no comecinho destas mal-traçadas, gosto e muito da palavra SARAVÁ.

Outro dia, sabendo ser preconceito e apenas preconceito, por ter usado essa saudação – Isso! Uma saudação! -, perguntaram a este MB se ele era praticante de algumas dessas religiões.  Respondi que não. Mas que a palavra usada é mais comum do que imaginam os nossos vãs filósofos e as suas vãs filosofias, isto é.

Essa palavra que eu gosto – SARAVÁ – se tornou  “popular” mesmo,  passando a ser  o que hoje realmente significa, uma saudação, naqueles tempos em que a escravidão era oficializada. A história é essa. Hoje, tudo bem, todos sabem que um salário mínimo não é tão escravidão assim. É quase. Por aí.

A história é simples e bonita como todas as coisas simples e bonitas nesta vida. Contam que os escravos africanos tinham dificuldade da gota serena com a nossa língua.  Pausa. Nada mais natural. Afinal,  tem nego por aí, craque em mandar prender e soltar que não consegue dizer a feia (sic) palavra “cônjuge” e,  apressado, troca-a todas às vezes que pronuncia por “Conge”. Assim, por falar uma língua muito diferente da nossa, o “bantus”, os escravos não conseguiam dizer a palavra “salvar”. Simples pra gente, não?   Pois é. Os filólogos dizem “impossibilidades fonológicas”.E ficou assim:  não conseguindo dizer a palavra “salvar”, diziam “salavá!”.

E SARAVÁ? Eu conto.

SARAVÁ UM 

A língua – leia-se o “idioma” – é viva. Vocês sabem. Involuem ou evoluem. Dessa vez, acredito, ela evoluiu. Acho. Como os escravos não tinham “língua” para dizer “salvar”, metiam o “salavá” o meio. E, como acabei de escrever, com a evolução dela, isto é, da língua, passou para o “SARAVÁ

Mas, afinal, o que significa a palavra SARAVÁ? Sem preconceito, sem preconceito. Essa palavra bonita significa uma simples saudação.  Exprime alegria e agradecimento, Servindo   para ser usada como um elo entre dois seres. Eu, particularmente, acho a palavra arretada. E, por isso mesmo, não poderia encerrar esses primeiros exercícios matinais para os dedos malabaristas, sem a saudação somente alegria ao belo dia de Rosa e aos amigos:

 SARAVÁ! Salve os amigos!  Bem-vindos os amigos!

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


× 6 = dezoito

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>