Um corpo vazio também está cheio de ar…

Um corpo vazio também está cheio de ar…

Verdade. Os poetas sempre me socorrem quando o meu silêncio precisa de palavras. Raro. Nenhuma dúvida que somente peço socorro as palavras quando o meu silêncio grita e não é ouvido. Hoje, por exemplo, aqui,  que nada tem de mesa de bar, ando realmente meio cheio de tudo. Mas, como vocês veem, estou ainda na metade. Apenas cheio de quase tudo. O motivo? Se eu soubesse, somente cheio estaria pela metade. Também não é muito bom estar totalmente vazio. Pois, mesmo um copo vazio, como descobriram  um dia, também está cheio de ar. Estou. Não de ar, mas cheio de quase tudo. E isso, por incrível que possa parecer,  deixa-me um  pouco sem ar. Um pouco apenas. Não totalmente nem pela metade.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


− 1 = cinco

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>