Fala Plínio Ramalho ou “De como se dar bem na vida sem fazer esforço”!

Fala Plínio Ramalho ou “De como se dar bem na vida sem fazer esforço”!

Eu Plural: um dos meus dois mais presentes leitores, Plínio Ramalho Sobrinho, esse que infelizmente ainda não conheço, vez em quando me aparece com um texto limpo e pensamentos tão limpos quanto o limpo texto seu. Mas nunca publiquei nada dele por aqui, mesmo sendo há muito merecedor. E sabem de uma coisa?  Não me perguntem porque não saberia dizer o porquê da não publicação. Hoje, porém, lendo alguns de seus comentários, decidi: pouco a pouco, não somente para o deleite meu, mas para o outro leitor que ao lado dele, de Plínio, forma a minha dupla de leitores, espalharei neste singular espaço plural o que pensa e escreve o Plínio. Manda mais Plínio! Putabraço. – 1berto de almeida.

 

 

Plínio ramalho sobrinho

A minha tia Maria, com sua inigualável sapiência, enfatizava, há três hipóteses de uma pessoa se dá bem na vida: nascer rico, casar com rico, ou tirar a sorte grande…

Já o meu tio José, um homem de pouca fé, era taxativo nas suas ilações, e profetizava a céu aberto: quem não rouba e nem herda, enrica uma merda.

Por outro lado, atravessando os caminhos estridentes da vã filosofia, é de se constatar dia e noite, noite, noite e dia, que sucesso é obra e arte da persistência, consiste muito mais transpiração do que inspiração.

Jesus de Nazaré, no seu sublime “Sermão da Montanha”,deixou os preguiçosos, os acomodados e os parasitas lisonjeados e satisfeitos.Claro que o “Redentor do Mundo” foi muito mal interpretado na sua pregação,Pode até se dizer que nas parábolas de Jesus, tinham que haver uma severa interpretação.Todavia se aqueles que não querem nada com nada, que levam a vida ao DEUS dará,dificilmente irão se incomodar em interpretar, tais parábolas.

Na realidade, se o sucesso fosse condicionado em uma receita do tempo dos nossos pais,teria quatro ingredientes indispensáveis: SORTE, CARISMA, ESFORÇO.

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

6 comentários

  1. plinio ramalho sobrinho

    FELICIDADE(Plínio ramalho)

    Você pode sim ser feliz.
    Mesmo que o sol não se faça presente,
    Aquecendo o dia com seus raios ardentes,
    Mesmo que a lua e as estrelas,
    Cedam seu lugar para um céu plúmbeo e carregado,
    Mesmo que o mar se faça agitado e caudaloso,
    Que as flores e os passarinhos se afastem do seu jardim,
    Mesmo que o amor insista em não aparecer contente,
    A felicidade minha gente não é propriedade de miguem,
    Não se adquire no mercado, não compra não se negocia,
    Não se rouba não se troca não se toma de ninguém.
    Felicidade é o aqui e agora, não há grau ou magnitude,
    Não há como se mensurar quem é mais ou menos feliz,
    Não há meio termo, nem quente, nem frio nem morno,
    VOCE É FELIZ E PONTO FINAL.

  2. plinio ramalho sobrinho

    OS SONS DA MINHA INFANCIA,… VILA DOS MOTORISTAS, RUA GENERINO MACIEL,
    Ainda hoje me recordo,…
    As paredes da memoria…
    Insistem em relembrar,
    Naquelas manhãs, que lindas manhãs…
    La vinha o vendedor de peixe,
    Peixe é cioba, Peixe é cavala… Peixe é curimatã….
    Depois o velhinho mendigo… Um velhinho que morava no varjão um bairro da periferia…
    Diziam as más línguas que ele já estava rico de tanto pedir…
    Mó, mó, mó, Deus….
    Tinha também o sapateiro ambulante…
    Que gritava a céus aberto…
    Consertador de sapato e na hora!…
    Passava ainda o comprador de vidros
    Que berrava sem parar…
    Garrafa e meia garrafa!… Compro litro! e meio litro.!..
    E eu me perdia em meio a esses sons inesquecíveis…
    Até os ônibus da viação marcos da silva quando completa o circuito da linha primeiro de maio, na sua ultima parada produzia um uivo sonoro que depois se tornou sinônimo de viadagem.
    Paaaaca, ca ca ca….
    Se algum rapazinho virasse a munheca a turma dizia logo este ai é paca.
    Isto tudo presenciei na minha velha e querida vila dos motoristas na Generino Maciel,nos mais doces anos da minha infância.

  3. plinio ramalho sobrinho

    Amor forense, Por: Plinio ramalho sobrinho.

    Eu quero tramitar o meu amor,
    No cartório do teu coração,
    E que deus “faça vistas aos autos,,,
    E liminarmente defira, à nossa união.

    Não importa se o mundo contestar,
    Exigindo A separação,
    Nosso amor seguirá sempre em cima, e a inveja Irá para o chão.

    São estes os meus argumentos
    em alegações finais.
    Porque sobrevirá A VERDADE e a , JUSTIÇA VAI TRAZER A PAZ

    Não adianta recursos
    Tudo é vontade de Deus, mesmo subindo ao supremo, lá no mais alto do céu.

  4. plinio ramalho sobrinho

    QUARTA FEIRA ESTÁ NO MEIO DA SEMANA,

    Como quinze fica no meio do mês
    E junho no meio do ano,
    O bico na boca do tucano.
    E quem morre entra pelo cano.
    Eu que me encontro no meio da vida,
    Ainda não me curei de todas as feridas,
    Vivo arfando pra não sufocar,
    Vendendo o almoço comprando o jantar.
    É assim o dia a dia,
    Nem tudo se lava na pia,
    A vida não é só alegria,
    Nem só tristeza.
    Ela tem a natureza pra me deslumbrar.
    E dai pra frente na descendente
    Espero que a morte me leve sem dor, sem medico ambulância UTI, ou doutor.
    Com paz harmonia respeito e dignidade, e amor.
    E que importa a idade,
    Sou mais a folia, alegria, saúde.
    E os problemas que se resolva a miúde.

  5. plinio ramalho sobrinho

    ACABOU O ANO, Plinio Ramalho Sobrinho.

    Lá se foram os planos,
    E ninguém fez nada,
    Tudo foi pro mato,
    Só sobraram ratos,
    Ao redor da estrada,
    Tudo já foi feito ninguém tem,
    Direito nem de reclamar,
    A cada momento, vem um contra tempo. pra nos abalar.
    Só se fala agora,
    Em cortar os gastos, apertar o cinto, economizar.
    A vaca esta magra, já sugaram tudo que tinha pra dar.
    A porca esta morta já fecharam as portas para embalsamar
    No frigi do ovo, escolheram o povo pra conta pagar.

    Não se tem Escola, não se tem Saúde, muito menos Paz,
    Pois a segurança, com tanta Lambança, não sabe o que Faz.

    A porca esta morta já fecharam as portas para embalsamar
    No frigi do ovo, escolheram o povo pra conta pagar.

    BOAS FESTAS E FELIZ ANO VELHO

    • Humberto

      isso ai, companheiro! sempre presente! o rosto, apesar das porradas, assim como este malabarista de palavras, sempre na janela! putabraço! belo ano novo!

Deixe uma resposta para plinio ramalho sobrinho Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


− um = 1

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>