Arquivos do Autor: Humberto

O restaurante chicken na capoeira

IMG-20230820-WA0006(1)

nesse exato instante e momento no recém-inaugurado capoeira chicken de alamo chaves. o sertão na beira-mar, e o mar perto do melhor do sertão. muito em breve,  pois quem avisa amigo é e eu sou amigo,  será o novo “ponto” – não gosto de “point” – dos amantes da noite e do dia. a primeira vez a gente não esquece.  ... Leia Mais »

ESSES BICHOS QUE VIVEM AINDA EM MEU JAGUARIBE!

bichos em cores

Tenho aqui, em casa, na minha ilha, O Aleph. Releio-o. Pra que mentir? Não (re) leio tanto o Jorge Luiz borges. Confesso: mas gosto de suas histórias. Curtas? Eu curto e muito.  Hoje, segunda-feira, manhã de canários anunciando que a chuva cai lá fora, mas que por dentro um sol brilha como martelo de Thor quando atirado, escuto Jorge Mautner, ... Leia Mais »

INESPERADO DA SURPRESA ?

humbeerto de chapeu mujito bom NO RIO OTIMA

O inesperado fazer uma surpresa? Sempre gostei desse “inesperado”. Uma surpresa inesperada é uma expressão pra lá de ótimo, como diria o meu bom amigo Tião Lucena. A expressão, a inesperada expressão, se a memória não me falha nem consultarei o google, o Freud dos nossos tempos, esse que tudo explica, ouvi pela primeira vez na voz da cantora/intérprete – ... Leia Mais »

A PANTERA INGRATIDÃO NUM INGRATO FILME

ingratidão filme

Tenho navegado na minha ilha a procura de um bom filme. São muitos, é verdade. Muitos também são aqueles a que nunca assistiria não fosse essa minha curiosidade que me faz descobrir um fato e uma mentira a cada segunda. É a mídia! É a vida! Agora mesmo, enfim, essa procura cessou.  Não vou dizer que o filme  seja lá grande ... Leia Mais »

Um velho escrito sobre o jovem ESQUERDINHA

images (37)

Uma história de futebol Ele não foi um craque, mas chegou perto. Muito perto. Dizem os que jogaram com ele. Passou fases maravilhosas dentro de campo. Aqui e em alhures, esse lugar que não fica no verde-amarelo. Alhures. Ganhou dinheiro muito. E numa moeda que poucos por aqui já viram. Em que muitos  nunca tiveram uma cédula na mão. Ou ... Leia Mais »

Morrendo de saudade do seu/meu Jaguaribe!

um malabarista de palavras e a casa da 12 de outubro onde nasceu

Vez em quando ou de quando em vez – escolham – recebo um imeio somente saudades de um contemporâneo do meu bairro Jaguaribe. É saudade que não acaba mais! E entre esses saudosos, Wilson Meneses, acredito ser esse o nome completo dele, lembra a Cruzada de Frei Albino, Campo da Vila, Pedro Osmar e o seu Jaguaribe Carne, Cachimbo Eterno, ... Leia Mais »