Arquivos do Autor: Humberto

Comendo Cocô e Estourando o Coco!

cardápio claudio

O brasileiro – Não todo! Não todos! – não sabe mesmo o que deseja comer. Não fica só por aí. Também nunca soube em quem votar.  A prova maior é que não tem uma vez em que ele vote num candidato e na próxima semana, o  candidato,  eleito ou não, esqueça o seu nome. Isto é, o nome do candidato em ... Leia Mais »

gênios tocando na afinação belíssima de Deus!

Dois dos maiores gênios do violão, o brasileiro Yamandu Costa e o Espanhol Ricardo Gallén, eles fazem uma das melhores apresentações para o clássico de autoria do paraguaio Augustin PIO Barrios (Mangoré). Dois grandes violonistas que deram vigor e brilho a “La Catedral”. Fiquei realmente sem saber o título que iria colocar para expressar o que senti ouvindo esses dois ... Leia Mais »

a ansiedad do net e a ansiedade real nos tempos do corona

net dois

 A composição Ansiedad é de 1955. Velhinha, não?  Pois é. O bom trio Irakitan canta muito bem  a Ansiedade, versão que dizem ser do Fausto Nilo e Fagner. Não tenho tanta certeza assim. Ansiedad (sem o “e” no final) é  uma valsa escrita pelo compositor venezuelano Jose Enrique Sarabia, quando ele tinha 15 anos. A canção foi popularizada internacionalmente em 1959 por Nat ... Leia Mais »

Quando eu quero falar com Deus, eu apenas falo Quando eu quero falar com Deus, às vezes me calo…   tão lembrando dessa cvanção gospelo – por ai – que o o “rei” roberto carlos lançou especailente para os seus fas mais fies no distanto ano de 1995 ? final de ano como sempre afconteceu quando o “rei” ainda dava ... Leia Mais »

eu quero o meu bom humor de volta!

humberto chapeu sob o rosto

Nada de filosofar sobre o humor. Também nada de tentar explicar com palavras sem graça o que vem a ser o humor.  Sei apenas dizer que o bom humor é ume excelente sinal de que tudo estão bem com você. Mas nem sempre. Nem sempre. O que é estar bem-humorado e o que vem a ser, afinal, o bom humor? ... Leia Mais »

o dia mesmo eu não me lembrou. sei que era um dia de semana. acabara de passar cantarolandopela r o estrondoso  de ronnie cord – poucos se lembram e muitos nem sabem quem foi –  pela rua augusta. assim todo turista olhava para um e lado e ooutro e imaginava como “eram esses tempos em 1964″. a composiçoai é do ... Leia Mais »

o menino mamando no lugar errado ?

Eu plural: não me digam que assim de primeira você sabia o porquê desse menino estrar com a boca lá dentro da vaca. eu? estranhei e não foi pouco. não sabia. sou diferente daquele colega que tudo sabe e tudo leu. e o que não sabe, assim costuma dizer, é porque “esqueceu”. e assim ele vai vivendo entre o esquecimento ... Leia Mais »

urubu e outros

# – isso mesmo. o texto hoje tem de ser direto. se não acerta  o queijo, vire o sacana e aplique-lhe na bunda. tomei a primeira dose. não nessa, mas no braço. se eu fiquei aliviado ? meio. ali viado é outra coisa. não apontei ninguém. a primeira dose é como aquele “porta-peitinhos” da menina: a gente nunca esquece. pausa. ... Leia Mais »

se antes eram vistos em cores, agora, colorizado por um poeta, ficou mais poético e bonito ainda: os bichos!

irmaos bichos picasa

dá para perceber que fiz questão de mostrar aqui essa foto colorizada(arg!) pelo poeta águia mendes em tamanho grande. talvez mesmo enorme.  águia era um bom jogador das nossas peladas matinais ou vespertinas. sabia como poucos usar mais a cabeça que os pés. agradeci e muito. agradeço.  a foto apareceu assim mais que de repente em minha cabeça vazia de ... Leia Mais »