Depois dos japoneses, chineses investem em novo avião supersônico

Depois dos japoneses, chineses investem em novo avião supersônico

Aporte partiu da Ctrip, maior agência de viagens online do país asiático

 

A Boom Supersonic, empresa americana que trabalha em um novo avião supersônico que promete ser mais confortável, silencioso e rápido que o Concorde, recebeu mais um investimento.

O montante investido pela Ctrip, maior agência de viagens online da China, não foi divulgado, mas sabe-se que a fabricante baseada em Denver, no Colorado, já levantou US$ 85 milhões (R$ 306,5 milhões).

A Ctrip pretende, segundo seu presidente, ter um leque de investimentos em “tudo relacionado a viagens”. Como a China é hoje o segundo maior mercado para a aviação do mundo e deve se tornar o primeiro até 2022, a notícia é ótima para a Boom, que assegura uma porta de entrada com a possibilidade de diminuir o tempo de voo entre Xangai e Los Angeles das atuais 12 horas para seis.

Como contrapartida, entre 10 e 15 clientes da agência chinesa devem estar no primeiro voo do supersônico americano.

No final do ano passado, a Japan Airlines já havia investido US$ 10 milhões (R$ 36 milhões) na Boom, que diz ter 76 pré-reservas para um avião de 55 lugares que seria capaz de fazer um voo Londres-Nova York em apenas 3h15min -hoje esse tempo é de oito horas.

A segunda maior companhia aérea japonesa tem a opção de comprar 20 aviões da Boom, sendo um dos dois clientes já identificados. O outro é o grupo Virgin, que tem uma pré-reserva de 10 unidades. A Japan Airlines também irá auxiliar a Boom com o design da aeronave e a experiência dos passageiros.

Cada avião sairia por estimados US$ 220 milhões (R$ 793 milhões). Para efeito de comparação, um Boeing 747-8i, que leva até 410 passageiros, custa US$ 400 milhões (R$ 1,4 bilhão).

Previsto para entrar em operação em 2023, o avião da Boom voaria em Mach 2.2 -ou 2.695 km/h-, 10% mais rápido que o Concorde, supersônico desenvolvido em parceria por britânicos e franceses nos anos 1970 e que deixou de voar em 2003.

Um avião tradicional, em voo de cruzeiro, faz cerca de 800 km/h, ou seja, menos que a velocidade do som, que é de aproximadamente 1.200 km/h.

O desafio, uma vez mais, é o preço da passagem. A Boom afirma que um bilhete de classe executiva sairia por US$ 5.000 (R$ 18 mil). O tíquete ida e volta entre Londres e Nova York no Concorde custava cerca de US$ 10 mil há 15 anos. Com informações da Folhapress.

 

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


4 − = dois

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>