Conheça os tipos de mães pelo mundo

Conheça os tipos de mães pelo mundo

Apesar de saber que mãe é mãe, o endereço continua sendo outro

Mãe é tudo igual, só muda de endereço!” Quem já não já escutou essa frase ? Acho que todos nós já ouvimos muito, desde que somos filhos e ainda mais quando vira-se mãe. E, na maioria das vezes, as mães vestem a carapuça e se vêem muito parecidas proporcionando algum conforto, afinal não estamos sozinhas nos dramas, medos, aprendizado e curiosidade. Afinal, mãe é mãe, certo?

Nem sempre. Mãe é tudo igual mas o endereço faz diferença. Pelo menos é o que mostrou recentemente um jornal italiano. Que tal saber a característica das mães de alguns países? Confira!

Mãe italiana: é a mãe que “choca” os filhos, fica com eles embaixo de suas asas o tempo todo. Tem uma enorme preocupação com alimentação, mais do que outras mães. É afetuosa, protetora e se ocupa quase integralmente deles.

Mãe francesa: é a mãe descontraída, que dá mais liberdade aos filhos, deixando-os mais livres para brincar. Não fica obcecada e nem cria expectativas exageradas em relação aos filhos. Nada adepta de “junk food”.

Mãe chinesa: é a mãe tigre, proíbe televisão e videogame, impõe aulas de música, preferencialmente de violino e piano. Mantém uma forte pressão em cima dos filhos.

Mãe inglesa: é a mãe silenciosa, passa a maior parte do tempo sem falar muito. Não repete continuamente as ordens e nem confere aos filhos um status especial na família.

Mãe americana: é a mãe neurótica, que tem medo de tudo. Quer vigiar todos os passos do bebê, muito atenta a germes e bactérias, contudo é mais liberada na alimentação.

E as mães brasileiras? Como são? Isso o jornal italiano não revelou. Apesar de saber que mãe é mãe, o endereço continua sendo outro e, portanto, devemos ter traços próprios da maternidade brasileira.

A mãe brasileira pode ser a mãe insegura, aquela que adora ouvir a opinião de todos para decidir o que é melhor para seus filhos. Também a mãe brasileira pode ser a mãe amiga, aquela que estabelece uma relação mais de igual para igual com os filhos, com uma hierarquia não tão rígida e com limites mais elásticos.

Ou ainda a mãe culpada, com um sentimento de culpa sempre em alta, mesmo que seja bastante presente no dia a dia dos filhos. Ela sente que está devendo alguma coisa aos filhos e busca formas de “compensar” essa culpa. Tem ainda a mãe perfeita, a que se cobra para sempre para tirar nota 10 em tudo, quer ser a mais perfeita possível, muitas vezes gerando um enorme estresse para atingir esse objetivo.

Americanas, chinesas, francesa e brasileiras. Todas mães. Tenho certeza de que cada uma a seu modo, em última instância querem ver seus filhos saudáveis e felizes. Nesse ponto não há dúvidas: mãe é tudo igual.

 

Compartilhar...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


+ um = 7

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>