Arquivos do Autor: Humberto

Um

FB_IMG_1605698546588

Carta de Frida Kalo para Diego Riveira 1953 Não tenho medo da dor, e você sabe disso. Ela é quase inerente a mim, mas confesso que sofri, e muito, quando você me traiu, não só com minha irmã, mas com tantas outras mulheres. Como elas se deixaram enganar por você ? Você acha que eu fiquei possessiva por causa da ... Leia Mais »

Erundina

_Erundina em resposta a uma pergunta que jamais seria feita a um homem velho e político._ *Que a gente envelheça como Erundina.* “ENTREVISTADOR – Sobre as críticas à sua idade: dizem por exemplo que passou da hora da senhora se aposentar da política, que deveria ceder lugar para gente mais nova. Qual é sua resposta para esse tipo de comentário? ... Leia Mais »

Dorme Drummond

“Vamos, não chores. A infância está perdida. A mocidade está perdida. Mas a vida não se perdeu. O primeiro amor passou. O segundo amor passou. O terceiro amor passou. Mas o coração continua. Perdeste o melhor amigo. Não tentaste qualquer viagem. Não possuis carro, navio, terra. Mas tens um cão. Algumas palavras duras, em voz mansa, te golpearam. Nunca, nunca ... Leia Mais »

Nietzsche

“Jamais alguém fez algo totalmente para os outros. Todo amor é amor próprio. Pense naqueles que você ama: cave profundamente e verá que não ama à eles; ama as sensações agradáveis que esse amor produz em você! Você ama o desejo, não o desejado.” ——–Friedrich Nietzsche Leia Mais »

o azul beija-flor

IMG_20201113_093101052_HDR

não entendo a língua dos pássaros. não entendo nem falo o passarinhês. também não vejo o mundo com os olhos de beija-flot. olhos de pássaro não tenho. o beija-flor escolhe a flor que beija. não sei. esse parece que escolheu. fico aqui a espiar. será que ele assim? voando por. pousando em cada flor. e escolhendo aquela que tem a ... Leia Mais »

Sandra de Fausto Wolff na terra antes que dela eu me mude

sandra na terra do antes

De quando em vez (sic) mergulho criança nos chamados livros escritos para crianças. E todas as vezes que assim faço, lembro que o meu bom irmão Dapenha ainda hoje mergulha na história do principezinho cor de rosa do Exupéry, o conhecido por muitos pela alcunha de O pequeno príncipe.  Dessa vez, porém, anos depois, muitos,  foi este MB que voltou ... Leia Mais »

o narra dor incapaz de doar amor

doar amor

eU TENHO-ME ABSTIDO (ESSE É O VERBO!) DO MEU VELHO CACHORRO ENGARRAFADO. o VINHO, HOJE, ME PEGA BEM MELHOR QUE UM BLUES.  tAMBÉM tENHO-ME ABSTIDO-ME – QUE LÍNGUA! –   DE OUVIR AS TOLICES – EDUCADO, NÃO DIREI O QUE PENSO MESMO. –  GRITADAS POR ESSE NARRA DOR (ASSIM MESMO) ESPORTIVO, EM NOSSAS MANHÃS NOVEMBRINAS. hOJE, PORÉM, CONSEGUI ME SEGURAR. o ... Leia Mais »