Arquivos do Autor: Humberto

AS LIÇÕES DE VIVER DE CARLOS ROMERO

carlos romero foto

Tenho andado e pulado e escapado das pragas de urubu. Mas, praga de urubu, vocês sabem mesmo onde pega. Pois bem. Os meus inimigos, porém, que graças a Deus se os tenho são poucos, fiquem sabendo: acredito em urubus, em pragas não.  Pois é. Tenho corrido, assim como Paulinho da Viola, buscando meu lugar no futuro. O meu futuro? Ora ... Leia Mais »

Voltarei à criancice, meu irmão, estou voltando!

maracatu humberto

 Ontem feriando, aqui proclamo: na colorida cidade de Olinda, na carnavalesca Olinda passei.  Zerei o hodômetro – odômetro? Tudo bem. – do meu corcel vermelho com cascos de borracha, e registrei:   Olinda está distante 112 km da minha ilha cercada de livros e discos e filmes por todos os lados! Um passeio-maracatu arretado de bom. Valeu a pena. Maracatu é essa bela ... Leia Mais »

EVA E ADÃO? NÃO ERA UM NEM OUTRO!

adao e eva dna

O papo ontem foi um daqueles anos antes “transatlântico” feito de madeira pelo Noé.  Voltamos a Adão e Eva, maçã, cobra e paraíso.   Nunca vi coisa mais chata do que falar nesses dois bíblicos personagens. Adão e Eva. Por mais que a gente insista em dizer para os cristãos – antes para os judeus – que esse casal foi apenas ... Leia Mais »

O que tem a ver o Bardo com essa Avon que não cheira nem fede?

the-bard-anna-hathaway

- My job is to translate!  Diria o filho de Dona Canô na língua do The Bard. O meu trabalho é de traduzir. Pausa. Esse ainda não é o meu. Assim diria este Malabarista de palavras num inglês simplório ao nada simplório – algumas de suas 37 peças eram – gênio de Stratford-upon-Avon. Não traduzi o que muitos traduziram. Não quero. Nem capaz ... Leia Mais »

ENTRE EM BECO SAI EM BECO, ACABEi NO BECO DAS GARRAFAS!

humberto rio museu do PICASA

Não sou muito de programação. Serei mais direto: nem muito nem pouco. Sempre gostei mais das coisas que o destino – esse em que muitos acreditam – chuta a bola em minha direção e emendo de primeira,  sem a preocupação de antes amacia-la para ter a certeza maior de que ela irá dormir na rede da esperança do povo brasileiro. ... Leia Mais »

Silêncio! As palavras precisam dormir!

silencio de quintana

1 – o silêncio pós-eleição  ainda faz barulho. A corrida em busca de um “cargo no futuro” começou. Tem nego que dormindo sonha alto ou  permanece acordado com medo do pesadelo. Pior: nem sonho nem pesadelo. Não dorme. O medo é grande de não acordar para a realidade. B – não leio sinopses antes de assistir a um filme. A ... Leia Mais »

PORQUE ONTEM FOI SEXTA HOJE É SÁBADO!

luta sem paradeiro

Se alguém me perguntasse “por que hoje é sábado?”, não vacilaria em responder que “esse  mistério” se deve ao fato de  amanhã ser  domingo.  Simplesmente.   Mas, se ainda alguém mesmo assim não entendesse a minha breve e profunda (?) resposta, diria que amanhã será domingo porque ontem foi sábado. E assim , entre um dia e outro, um dia depois do ... Leia Mais »

O COLAR DE VELUDO DE ALEXANDRE, GRANDE ESCRITOR!

colar-de-veludo-alexandre-dumas-13955-MLB4148225025_042013-F

Sem regras nem pregas (no bom sentido, claro) nesse pensar livre e livre pensar, me pego nessa manha de quarta-feira devanear sobre as coisas que leio e aquelas que nunca li, mas morro de vontade de ler um dia. Saco livre – não uso cueca em casa! – e levemente vazio naquele vai e vem entre as coxas, ouvindo baixinho ... Leia Mais »

Escrever é preciso, navegar não é mais preciso!

escrever

Uma vez poeta e escritor Políbio Alves que é uma “fábrica” da melhor poesia e sabe reinventar um texto como poucos, me disse que “sente uma dificuldade” feladaputa para escrever. Falou mais: um sacrifício. Sentar, escrever, rasgar; lembrar um pouco do que escreveu, rasgou e tentou aproveitar em numa nova escrita. Ah, Ledo Ivo engano! Não consegue. Os seus textos ... Leia Mais »